featured Content

News

China7

Palestra: “Rumo ao mundo sinocentrico? As transformações globais e suas implicações para o Brasil”

Link para inscrição: http://funag.gov.br/index.php/pt-br/inscricoes 

O presidente da FUNAG, embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima, e o Diretor do Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais (IPRI), Paulo Roberto de Almeida, convidam para a palestra-debate com o professor de Relações Internacionais da FGV-SP Oliver Stuenkel, no auditório Paulo Nogueira Batista (térreo do Anexo II do Palácio Itamaraty), no próximo dia 13/12, às 16:00hs.

Stuenkel, colaborador regular de diversas publicações na área de relações internacionais e autor de vários livros – entre eles The Brics and the Future of Global Order (2015) e do recentemente publicado Post-Western World (2016) – falará sobre “Rumo ao mundo sinocêntrico? - As transformações globais e suas implicações para o Brasil”.

Oliver Stuenkel é Professor de Relações Internacionais da Fundação …

Podcast

Remaking Global Order – A Talk with Oliver Stuenkel (GPPi podcast)

 

Click here to listen to the podcast.

With emerging powers like China, India and Brazil playing a growing role in international affairs, the global balance of power is shifting. What does this mean for the future of the international order? Will China dominate the twenty-first century? Will the BRICS grouping prove to be a disruptive force in global affairs? In this podcast, our first, GPPi Director Thorsten Benner sits down with Oliver Stuenkel, a GPPi non-resident fellow and an assistant professor of international relations at the Getúlio Vargas Foundation (FGV) in São Paulo. In this new book, Post-Western World: How Emerging Powers are Remaking Global Order, Stuenkel argues that our understanding of global order and predictions about its future …

XI

How Trump Benefits China in Latin America (Americas Quarterly)

BY OLIVER STUENKEL | DECEMBER 5, 2016 Growing Chinese engagement in the region will test Latin America's ability to adapt.

http://americasquarterly.org/content/how-trump-benefits-china-latin-america

The timing was perfect, and the symbolism could not have been stronger. A mere week after Donald Trump’s upset victory stunned the world, Xi Jinping traveled to Lima for the Asia-Pacific Economic Cooperation (APEC) summit and projected China as a bastion of stability, predictability and openness. With the U.S. increasingly skeptical of globalization, Xi promised that China would stand up for free trade. Faced with an emerging global leadership vacuum, Beijing was quick to recognize a window of opportunity. Compared with the abrasive U.S. president-elect, the Chinese president, with his avuncular charm, seemed to have a soothing effect on …

BRICS9

Why the West Struggles to Understand the BRICS

 

http://www.e-ir.info/2016/12/05/why-the-west-struggles-to-understand-the-brics/

OLIVER STUENKEL, DEC 5 2016

The transformation of the BRICs acronym from an investment term into a household name of international politics and, more recently, into a semi-institutionalized political outfit (called BRICS, with a capital ‘S’ after South Africa’s inclusion), is one of the defining developments in international politics of the first decade of the 21st century. The BRICS’ move towards institutionalization, which began in earnest in 2009, has received very little attention from the international relations community.

Over the past years, the majority of observers in Europe and the United States have argued that category was inadequate for a more rigorous analysis given that the differences between the BRICS far outweighed their commonalities. For example, it is …

Risco

Curso intensivo de verão no Rio de Janeiro: “Análise de risco político”

 

Como antecipar as consequências da ascensão chinesa, o Brexit e a eleição de Trump? Quais os cenários mais prováveis para 2017 e como eles afetarão o Brasil? Ter as ferramentas certas para a análise do cenário político é atributo indispensável para quem pretende trabalhar em bancos privados, consultorias de negócios, multinacionais, grandes ONGs, organismos multilaterais ou para o governo. 

Estão abertas as matrículas para o curso intensivo de verão “Análise de risco político: como as empresas multinacionais decidem onde e como investir?” para alunos externos à FGV. O curso, com o auxílio teórico da Ciência Política e da Economia, estudará a maneira pela qual a política influencia os agentes econômicos e de mercado. O foco se dará na aplicação …

AP-16242396369945-1

Curso intensivo de verão em São Paulo: “Dez Desafios da Governança Global”

 

Este curso intensivo apresenta os grandes dilemas da governança global contemporânea. Por meio de debates conceituais, simulações e análise de políticas públicas internacionais, exploraremos os dez principais desafios que a comunidade internacional enfrenta. Após uma apresentação do conceito de governança global no primeiro dia, discutiremos como a ideia de governança se manifesta na prática em cada um dos desafios. Além de conhecer as principais abordagens e contribuições teóricas, o aluno será exposto aos dilemas reais que governos, atores não estatais e empresas privadas enfrentam na política internacional.

Professores: Oliver Stuenkel e Marcos Tourinho

Data e horário: de 09/01 a 20/01/2017, segunda às sextas-feiradas 09h às 13h

Local: Rua: Itapeva, 432

Quantidade de vagas: 10 vagas

Cronograma:

05/12 a 12/12 - …

BRICS-Exp-0

The BRICS grouping in the G20: A Hedging Strategy

Written for the German Development's blog.

In the Delhi Action Plan, devised at the 4th BRICS Summit in March 2012 in India, the BRICS members committed themselves to coordinating their positions at G20 Summits. What has been the role of the 5 BRICS countries in the context of the G20 since then?

Rising Powers

To answer that question, it is worth keeping in mind that the BRICS countries have experienced vastly differing economic trajectories since 2012. China and India have exceeded the projections articulated by Jim O’Neill in 2001, when he first coined the BRICS term. O’Neill expected the combined GDP of the four economies to amount to about $8.7 trillion in 2013. Largely due to China and India, …

ISCTE

Ásia: o Centro da Disputa por Influência entre Pequim e Washington

 

Publicado no blog "Changing World" do ISCTE em Lisboa

Quando o presidente Duterte, das Filipinas, anunciou a saída de seu país da órbita dos Estados Unidos, questionando assim a parceria de décadas com Washington, a maioria dos analistas julgou se tratar de uma casualidade. Muitos acreditavam que Duterte provavelmente estava blefando e, mesmo que não fosse o caso, ele teria de se esforçar muito para convencer uma sociedade majoritariamente pró-estadunidense a aceitar laços mais fortes com Pequim.

Contudo, apenas um mês mais tarde, o Primeiro-Ministro da Malásia Najib Razak deu início a uma inesperada aproximação com Pequim quando anunciou a compra de navios chineses de patrulha costeira, o que representou o primeiro contrato substancial de defesa entre …